Hospital Santa Virginia - Institucional - Notícias



Como saber se estou com pedra nos rins?

A dor é inconfundível: uma cólica que geralmente se inicia na região lombar, mas pode migrar para o abdômen e a região da virilha. O cálculo (litíase) renal, também conhecido por “pedra nos rins”, pode apresentar outros sintomas como náuseas, vômitos e o aumento da frequência ou urgência de urinar, além da presença de sangue na urina.

Confira informações importantes para o diagnóstico e o tratamento do cálculo renal, compartilhadas pelos médicos responsáveis pelo Instituto de Urologia do Hospital Santa Virgínia, Prof. Dr. Enrico Andrade e Prof. Dr. Gustavo Alarcon:

Causas

Os rins possuem a função de filtrar e eliminar os metabólitos do nosso corpo. Alguns desses compostos orgânicos, em determinadas circunstâncias, podem se cristalizar e aglomerar, formando, assim, os cálculos renais. A obstrução do ureter (canal que liga o rim à bexiga) provoca impedimento da passagem da urina, causando dor no paciente.



Sintomas

O principal sintoma é a cólica renal, uma dor unilateral intermitente que vai aumentando de intensidade, seguida de alívio, para depois se agravar novamente, provocada principalmente pela migração do cálculo urinário. As cólicas podem variar entre um ligeiro desconforto até uma dor intensa, necessitando, muitas vezes, de internação hospitalar, para administração de medicamentos para o controle da dor. Também pode não apresentar sintomas, e as pedras serem expelidas naturalmente.

Diagnóstico

É feito pela história clínica e observação do paciente, mas apenas com exames de imagem é possível confirmar o diagnóstico, a localização e o tamanho do cálculo renal. Um Raio-X simples e o Ultrassom do aparelho urinário são exames iniciais realizados, podendo ser necessária uma Tomografia para o diagnóstico e a indicação do tratamento.

Tratamento

Durante as crises, é indicado o uso de analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar a dor. O urologista irá avaliar a possibilidade de eliminação espontânea do cálculo, mas, se o paciente apresentar febre ou dor prolongada, poderá ser sugerido um tratamento cirúrgico. O procedimento pode ser não invasivo (Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque - Leco), minimamente invasivo (Endoscópica a Laser ou Ultrassônica) ou cirurgia tradicional. Além disso, o paciente recebe acompanhamento e orientações nutricionais para uma dieta adequada a fim de evitar a formação de novos cálculos. Todos esses procedimentos são realizados no Hospital Santa Virgínia, com equipamentos de última geração (flexíveis e semirrígidos), pinças, cateteres e sondas especiais.

O Instituto de Urologia Santa Virgínia possui equipe especializada para auxiliar no diagnóstico, na prevenção e no tratamento (clínico e cirúrgico) de doenças do trato urinário, entre elas, o cálculo renal. O local tem infraestrutura para a realização de exames de Urodinâmica, contando com médicos plantonistas para atendimentos de urgência. Mais informações pelo telefone (11) 2799-3230.

Contribuíram com este conteúdo:

Prof. Dr. Enrico Andrade (CRM: 68.386) e Prof. Dr. Gustavo Alarcon (CRM: 87.945), urologistas do Hospital Santa Virgínia

Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital Santa Virgínia | Publicado em: 17/8/2020

 Imprensa  Centenário  Contato
Av. Celso Garcia, 2.294 - Belém - São Paulo/SP
Hospital Santa Virgínia © 2020