Hospital Santa Virginia - Institucional - Notícias



Em apoio à campanha Setembro Verde, Centro de Estudos HSV realiza palestra sobre o câncer colorretal

Dr. Guilherme Kappaz, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Santa Virgínia, alerta para a importância do diagnóstico precoce da doença

Em 26 de setembro de 2019, dando continuidade ao calendário de atividades do Centro de Estudos HSV, o Dr. Guilherme Kappaz, gastroenterologista do Hospital Santa Virgínia, ministrou palestra sobre a “prevenção do câncer colorretal”. A apresentação foi realizada no auditório da instituição e contou com a abertura da presidente do Centro de Estudos, Dra. Fabiana Franca. Estiveram presentes médicos e colaboradores de áreas assistenciais e administrativas do HSV.

O especialista começou mostrando dados alarmantes sobre o câncer de intestino grosso, que é o terceiro tipo de tumor mais comum no Brasil, com maior incidência nas regiões Sul e Sudeste. “Os países e estados mais desenvolvidos possuem maior prevalência do câncer colorretal, principalmente, devido à obesidade e alimentação descontrolada”, esclareceu.

O desenvolvimento da doença é lento - chega a demorar, em média, dez anos para evoluir completamente. Na maioria dos casos, ela progride por meio de pólipos existentes no intestino. “É fundamental o diagnóstico precoce, pois é uma patologia considerada evitável em cerca de 90% dos casos”, afirmou o Dr. Guilherme.

Para o rastreamento, existem alguns exames, entre eles, a colonoscopia, a tomografia e a pesquisa de sangue oculto nas fezes. “A colonoscopia é o melhor procedimento para visualização completa do cólon, reto e íleo terminal, e deve ser feita a partir dos 45 anos. Ela permite biópsia dos tumores, realiza diagnóstico de outras doenças benignas colorretais, além de ter a possibilidade de retirada dos pólipos menores e de tumores malignos muito precoces”, explicou o gastroenterologista.

O médico também citou os principais fatores de risco da doença: obesidade, sedentarismo e consumo elevado de carne vermelha. “Apesar de serem causas controláveis pelo paciente, é importante realizar o rastreamento de maneira adequada, pois 75% dos casos surgem em pacientes que não têm histórico familiar”, ressaltou o especialista em cirurgia do aparelho digestivo.

Para o Dr. Antônio Carlos Micelli, diretor clínico do Hospital Santa Virgínia, é fundamental o paciente ter um acompanhamento nutricional. “Estabelecer um equilíbrio dietético no cotidiano contribui na prevenção do câncer, além de evitar dietas descontroladas e danos à saúde”, relatou o cardiologista.

A enfermeira da Central de Material e Esterilização (CME), Maria Aparecida Silva dos Santos, elogiou a palestra e ressaltou a importância da prevenção. “Achei o tema extremamente importante, não apenas pela profissão que exerço, mas principalmente pelo lado pessoal, pois posso transmitir a informação aos meus amigos e familiares. Passei por uma cirurgia no intestino e hoje estou muito bem graças ao diagnóstico precoce. A prevenção realmente é o melhor caminho para impedir complicações”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital Santa Virgínia

Publicado em: 3/10/19

Bootstrap Slider
 Imprensa  Centenário  Contato
Av. Celso Garcia, 2.294 - Belenzinho - SP
Hospital Santa Virgínia © 2018