Hospital Santa Virginia - Institucional - Notícias



Dores nas costas? Pode ser hérnia de disco

Dr. Daniel Jorge, ortopedista do HSV e membro titular da Sociedade Brasileira de Coluna, explica sobre a doença que afeta cerca de 5,4 milhões de brasileiros

Com certeza você já ouviu falar sobre hérnia de disco. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a doença atinge cerca de 5,4 milhões de brasileiros. Ela tem prevalência entre pessoas de 45 a 70 anos, mas vem ocorrendo em pacientes mais jovens, principalmente, por conta do sedentarismo e por ficar muito tempo sentados.

A coluna é formada por discos intervertebrais, que servem como amortecimento e vão se desgastando com o tempo. “A hérnia ocorre quando há a ruptura das fibras que revestem este disco e o consequente deslocamento de seu conteúdo, podendo gerar compressão dos nervos, causando muita dor, geralmente, na região lombar ou cervical”, explica o especialista.

Causas: predisposição genética e hereditária, sedentarismo, erros posturais de longa data, sobrecargas de impactos, torções e hiperflexão da coluna, traumas de repetição, tabagismo, dentre outras.

Tipos de hérnias: os principais tipos da doença são abaulamentos discais ou protrusões discais (lesões menores) e hérnias extrusas (quando existe dano completo do anel fibroso que reveste o disco).

Sintomas: dor lombar que irradia para as pernas (ciática), podendo haver formigamento, diminuição da sensibilidade, da força e dos reflexos das pernas. Em casos mais graves, pode interferir no funcionamento do intestino e função urinária.

Prevenção: prática de exercícios físicos* que auxiliam na manutenção do tônus muscular abdominal e paravertebral (natação, musculação, pilates, entre outros), alongamentos, manutenção do peso corporal, boa ingestão de líquidos, procurar não ficar sentado por período muito prolongado diariamente e evitar traumas mecânicos de repetição.

Diagnóstico: com a realização de avaliação clínica médica detalhada e exames de imagem como raios-x e ressonância magnética.

Tratamento: inicialmente, os cuidados são por meio de anti-inflamatórios específicos, relaxantes musculares, repouso temporário, atividades como a fisioterapia, hidroterapia, Reeducação Postural Global (RPG) e acupuntura. Em casos mais graves, o tratamento é feito por cirurgia.

*Exercícios físicos: “Vale ressaltar que pacientes com hérnia de disco não devem praticar esportes com impactos, torções ou hiperflexão da coluna, devendo priorizar formas de alongamento e fortalecimento muscular, com acompanhamento profissional”, orientou o Dr. Daniel Jorge, ortopedista especialista em coluna.

O Hospital Santa Virgínia possui um Ambulatório de Especialidades, com atendimento em Ortopedia, Nutrição, Cardiologia, Neurologia, Reumatologia, entre outros. Também dispõe de um Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), que realiza os principais exames como Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada e Ultrassonografia. O serviço especializado conta com profissionais experientes e infraestrutura de alta tecnologia para diferentes procedimentos.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital Santa Virgínia

Publicado em: 26/9/19

 Imprensa  Centenário  Contato
Av. Celso Garcia, 2.294 - Belém - São Paulo/SP
Hospital Santa Virgínia © 2020