Primeiras décadas

Em 1918, após o fechamento da Universidade Livre de São Paulo, por questões políticas, o médico Eduardo Augusto Ribeiro Guimarães vendeu o hospital para Carlo Brunetti e Salvatori Battaglia.

No ano seguinte, em 6 de dezembro de 1919, foi fundada a Sociedade Civil Hospital de Caridade do Braz com o objetivo de auxiliar a conclusão da obra. Nessa segunda fase, a manutenção, novas construções e melhorias da instituição foram patrocinadas pelo Dr. Carlo Brunetti, que se tornou o único proprietário.

Além do próprio nome, a instituição e as equipes que nela atuavam sempre demonstraram seu caráter assistencial e de ajuda ao próximo. Durante a Revolução Constitucionalista de 1932, por exemplo, foi um dos hospitais de sangue da cidade.

O Diário Oficial, de 5 de outubro de 1934, publicou detalhes da constituição do Hospital de Caridade do Braz, que tinha a finalidade de: "a) ministrar socorros médicos-cirúrgicos e tratamento gratuito apropriado a doentes internados no Hospital, sendo o número delles de conformidade com os recursos disponíveis e a juízo da Directoria; b) manter annexa ao hospital, uma policlinica gratuita para consultas de medicina, cirurgia e especialidades aos doentes; c) destinar pavilhões ou secções do mesmo hospital a instituto e laboratórios clínicos para pesquizas ou estudos especiaes, afim de aperfeiçoar o tratamento dos doentes".

O Dr. Carlo Brunetti era bastante conhecido pela sua competência profissional, em especial na precisão dos diagnósticos e nas intervenções cirúrgicas que realizava. Porém, além de dominar a técnica da Medicina, era um verdadeiro médico cristão, que tratava os doentes com extrema bondade e humildade, enxergando neles não apenas pacientes, mas filhos de Deus.

Desde o início, o Dr. Brunetti fez questão que a religiosidade e a paz estivessem representadas em cada canto do hospital. Um exemplo são os crucifixos, que até os dias de hoje, são encontrados nos quartos, corredores, enfermarias, centros cirúrgicos, etc. Além disso, fez questão de manter uma capela na instituição e sempre contar com a ajuda de religiosas na condução do hospital.

Em 1935, ele solicitou à  Congregação das Filhas de Nossa Senhora do Monte Calvário, com sede na Itália, que enviasse religiosas voltadas para o atendimento hospitalar. A entidade havia sido fundada em 1631, em Gênova, por Virgínia Centurione Bracelli.

Além da proximidade com a Congregação, o pedido do Dr. Carlo Brunetti foi feito porque naquela época, como ainda não havia escola de Enfermagem, era muito comum contar com o trabalho de religiosas nos cuidados de pacientes. Em novembro daquele ano, um grupo de 15 Irmãs começou a atuar no Hospital de Caridade do Braz, prestando assistência religiosa e de enfermagem aos pacientes e seus familiares.

Porém, a missão das Filhas de Nossa Senhora do Monte Calvário no Brasil começou anos antes, em 1928, quando vieram de Roma as primeiras Irmãs da Congregação, que tiveram como obra inicial os trabalhos na Santa Casa de Misericórdia, em São José do Rio Pardo, interior de São Paulo.

Presente em várias partes do mundo, a Congregação mantém atualmente, no Brasil, 25 obras assistenciais, entre hospitais, sanatórios, escolas, creches e asilos nos Estados da Bahia, de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, São Paulo e no Distrito Federal (Brasília). Sua sede está localizada no bairro de Itaquera, zona leste da capital paulista.