Santa Virgínia

No aniversário da morte de Santa Virgínia, o boletim especial do centenário do HSV abre um espaço para contar a história da fundadora da Congregação das Filhas de Nossa Senhora do Monte Calvário, entidade mantedora deste hospital.

 

Virgínia Centurione Bracelli nasceu em 2 de abril de 1587, em Gênova, na Itália. Apesar de sua origem nobre, revelou desde cedo sua vocação religiosa. Porém, por imposição de seu pai, casou-se com apenas 15 anos com Gaspare Bracelli, um nobre genovês. Desse matrimônio, nasceram duas filhas: Lélia e Isabella.

Poucos anos depois, em consequência de suas extravagâncias, Gaspare adquiriu tuberculose, vindo a falecer com apenas 24 anos.

Viúva aos 20 anos, Virgínia se dedicou inteiramente ao Senhor, sem descuidar da educação de suas filhas. Certa noite, enquanto orava diante do crucifixo, ouviu  claramente: "Virgínia, a minha vontade é que tu me sirvas nos pobres". Acolheu o convite Divino com humildade e, seguindo o exemplo de Maria Santíssima, respondeu: “Eis aqui a escrava do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra”.

A partir deste momento, Virgínia renunciou a tudo, inclusive ao segundo matrimônio que seu pai havia lhe preparado. Apesar das inúmeras provações, humilhações e ofensas recebidas de alguns nobres da cidade e até mesmo de seus parentes, Virgínia continuava percorrendo os bairros mais pobres de Gênova para auxiliar os menos favorecidos. No coração de Virgínia, tinha espaço para todas as classes sociais. Por isso, foi chamada de "a apóstola de Gênova" e "mártir da caridade". 

Em 30 de abril de 1631, um Domingo de Ramos, Virgínia se refugia com 40 jovens no Monte Calvário, motivo pelo qual a Congregação recebeu, futuramente, o nome de Irmãs de Nossa Senhora do Refúgio do Monte Calvário, em Gênova, Este convento, embora tenha sofrido as consequências das guerras, foi restaurado e existem partes que são da época de Virgínia, inclusive na capela. 

Santa Virgínia iniciou sua obra apostólica por meio da: promoção e auxílio de pais e jovens carentes; fundação de escolas; educação cristã para adultos e crianças; assistência aos idosos e doentes; acolhimento de jovens e crianças abandonadas.

Após uma longa e profícua caminhada na Terra, Virgínia se prepara para encontrar com aquele que sempre foi a razão de sua vida, Jesus Cristo. Assim, no dia 15 de dezembro de 1651, Virgínia faleceu aos 64 anos. Seu corpo permaneceu enterrado no Convento de Santa Clara, em Gênova, até 1801, por exatos 150 anos. Após essa data, seu corpo foi retirado intacto e transportado novamente para o  Convento das Filhas de Nossa Senhora do Refúgio do Monte Calvário, onde permanece até hoje.

 A  Congregação,  no   entanto,   deu  continuidade  ao trabalho de sua fundadora, imbuída de seus ensinamentos de ajudar aqueles em dificuldades.

Em 1828, a entidade se expandiu para Roma, dando origem à Congregação das Filhas de Nossa Senhora do Monte Calvário, com finalidade assistencial, educacional e hospitalar.

Virgínia foi proclamada beata por sua Santidade, o Papa João Paulo II, em 22 de setembro de 1985. E, como coroamento de suas heroicas virtudes, foi proclamada Santa Virgínia Centurione Bracelli pelo mesmo Sumo Pontífice, em 18 de maio de 2003, na Praça de São Pedro, em Roma, na Itália.

Fontes: Vida e Apostolado da Santa Virgínia Centurione Bracelli (Mons. Luigi Travaerso) e A Dama dos Pobres (Padre Fausto Santa Catarina). 

Oração de Santa Virgínia

Ó Deus, fonte de todo bem, que nos fazeis participantes do Vosso Espírito de vida, nós Vos agradecemos por terdes concedido a Santa Virgínia a chama viva do amor por Vós e pelos irmãos, sobretudo pelos pobres e indefesos, imagem do Vosso Filho crucificado.

Concedei-nos viver a sua experiência na prática da misericórdia, da acolhida e do perdão, e, por sua intercessão a graça que agora Vos pedimos. Por Cristo Nosso Senhor. Amém. Pai Nosso, Ave Maria e Glória...